.

.

Aquí, se relatan algunos de los experimentos de CT1BAT que lo poco que sabe recibió de otros y cuyo valor radica en la capacidad de mejorarlo y compartirlo. *** Ici, certaines des expériences de CT1BAT sont rapportées que le peu qu'il sait a reçu des autres et dont la valeur réside dans la capacité à l'améliorer et à le partager. *** Here, some of the CT1BAT experiments are reported that the little he knows received from others and whose value lies in the ability to improve and share it.

my QSL card

my QSL card

.


Loop Quad

Loop Quad
a minha nova antena para os 20m e Qrg superiores

Quadra Cúbica 50MHz

Quadra Cúbica 50MHz
(o meu canhãozinho!)

Ver video...

(todas de construção caseira! All homebrew)

Todos os projetos, aqui descritos, foram testados por CT1BAT conforme se mostra.

WSPR



 O WSPR (Lê-se [uíspar] “sussurro” em português) sigla de “Weak Signal Propagation Reporter” é um protocolo, para computador, usado para comunicação de rádio de sinal fraco entre  radioamadores, desenhado por Joe Taylor-K1JT há poucos anos.

Como o próprio nome indica é uma transmissão de sinal fraco, em regra 200mW e permite descodificar sinais de -23dB numa banda com a largura de 2500 Hz.

Destina-se, fundamentalmente, a determinar a propagação por local e por banda. É o verdadeiro "propagaciómetro"  de que falava o Filipino (RIP).

Acoplado a um sistema de antenas permite determinar, em breves minutos,  qual a que se encontra em melhores condições (Sim/Não) para aquele local.

Os sinais recebidos são carregados, automáticamente e no momento, numa base de dados mundial com o nome de WSPRnet https://wsprnet.org

O programa, em código aberto, tem vindo a ser desenvolvido por vários OM e conta, atualmente, com cerca de 56.000 utilizadores em todo o mundo em TX e RX.

Os equipamentos utilizados são desde a construção caseira ou fabricados por QRP Labs, Sotabeams ou Zachtek, com as suas diferenças e para várias bolsas.

Para quem se queira documentar sobre o assunto encontra na Web muita informação digitando WSPR.


 A baliza que ilustra este escrito é a versão TX Desktop 80to10 da Zachtek (Suécia) de 200mW, equipado com GPS, que não necessita de PC podendo funcionar de qualquer lugar com uma fonte de 5V 1A .

Baliza autorizada pela ANACOM.

Sinta-se à vontade para usar, (basta selecionar o indicativo da baliza “CT1BAT” que está a funcionar, 24hx7d, desde Coimbra (IN50SE), ligada a uma EFHW-40M em sloper a 45º.



PERDAS DE RETORNO

 Ás vezes esquecemo-nos de nós próprios!

Lembra-me, hoje, o Facebook* que, há 2 anos publiquei uma experiência vivida (e aprendida!) na construção de uma antena para um colega e amigo e, pasmem, esqueci de a partilhar, no meu blogue, com os colegas que não usam aquela rede.

Sendo o tema, a observação das "Perdas de Retorno" etapa essencial na construção/instalação /acoplamento de uma antena, aqui o replico na esperança de que seja útil a alguém.

https://drive.google.com/file/d/1OfvOEEQnPLEB_GBlodZKPkkl4mCIWL1Y/view?usp=sharing 




*Digam lá que o FB não tem "coisas boas"... às vezes até nos ajuda a conhecer melhor algumas pessoas!

Antena para UHF (h=52cm) com 6 DBi de ganho!

 Construir uma antena para UHF (432MHz / 70cm) com 6DBi de ganho? Com uma largura de cerca de 7MHz e um ângulo de fogo inferior a 10º?

Muito fácil, mais barato e mais rápido que ir à loja e por um custo insignificante (uma PL)...

Material:

- 108cm de fio grosso ou tubo de cobre ou aluminio (recomendado 6mm);
- 1 PL de chassis (SO239).


Marque as distâncias no fio/tubo de acordo com as medidas acima: D|C|B|C|F.
Faça as dobras C.
Una as pontas com um pedaço de tubo plástico e coloque manga retrátil ou cola.
Afinação:
parta do ponto A (36mm) e, lentamente para cada uma das pontas (malha para a extremidade), procure o ponto dos 50 Ohm e menor ROE.

O resultado? Pode ver nas imagens abaixo!




(Não se preocupe demasiado com os valores apresentados em S11... são muitos anos a fazer e testar antenas (!) e raramente encontra estes valores de fábrica!)

(antenas afinadas em 450MHz para um amigo)

Mãos à obra e... divirta-se!

NOTA: Não fabrico para venda. Se tiver dúvidas, contate-me que eu ajudo-o.


QHF antena LHCP para satélite NOOA (137,5MHz)


 Há quem diga que recebe satélites até com chicote de borracha! 
É possível, dependendo do satélite e (muito!) do acaso/coincidência da passagem e da direção.
Mas, para se escutar com eficácia e fazer emissão, naqueles em que é possível, é preciso escolher o momento da passagem, mais próxima da sua localização, o azimute e ter uma antena com direcionalidade bastante para apontar o satélite. 
Isto para amadores! 
Claro que, para os "profissionais" há equipamento adequado desde software, para indicar passagens e variações de frequência conforme a aproximação ou afastamento, antenas e rotores azimutais.
Para quem faz isto de vez em quando (e não pensa na profissionalização 😃) há modos mais simples e baratos.
Hoje deixo-lhes uma forma barata (!) de construir uma antena devidamente testada (aqui só se publicam projetos testados pelo autor!) para receber os satélites NOOA (meteorológicos) ajustada para os 137,5MHz, com a vantagem de ter receção omnidirecional.





QHF Antena quadrifilar LHCP (circular esquerda)
Material utilizado:
- 70cm de tubo PVC 50mm;
- 1 tampa;
- 1,5m de coaxial;
- 1 PL de chassis;
- 2x118,1m de tubo de cobre 6mm;
- 2x111,4m de tubo de cobre 6mm;
- 1 dose de gosto + 1 de habilidade (!!!)





Os ângulos do tubo sem vincar fazem-se, facilmente, com um alicate de dobragem (ou outra).





Abaixo da fixação superior (+- 5cm) faz-se um furo, para o cabo sair, dar 4 voltas completas (choque de RF*) e volta a entrar dentro do tubo até próximo da base, onde liga a uma PL de chassis, ali fixada.
Sugestões de montagem: rosca interior no tubo, parafuso com anilha



O custo estimado é de menos de €20  (na CE encontrei esta antena à venda entre €200 e €250+portes).

O resultado final é o que consta da foto.

Se quiser ler mais sobre os satélites meteorológicos ou de amador, clique aqui.

Mãos à obra e bom trabalho!


*A sua função é a de ajudar a eliminar correntes de RF de fluir do lado externo do cabo coaxial.

"SLIM JIM" em memória de F.C. JUDD-G2BCX

 Longe vai o ano de 1980. O VHF tinha acabado de chegar... eram poucos os radioamadores equipados com VHF.


Num contato, em HF, com a estação G2BCX o operador Judd (falecido há poucos anos) fala, com entusiasmo, da nova antena que tinha inventado, a SLIM JIM e passa-me as medidas. Convém lembrar, sobretudo àqueles que nasceram nos últimos 30 anos que a Internet era algo com que nem se sonhava!

Com os fracos recursos que existiam na época, o que mais se aproximava era a antena de TV do canal 3 da Lousã que (aproveitando o trombone) ajustado para as medidas se chegava a uma antena que "carregava" bem e chegava. Sim porque, naquele tempo, ainda nem se sonhava com os analizadores de antena e os medidores de ROE/SWR, para VHF, eram raros e caros.

Vai-se à sucata (sempre!) e nasce a primeira SLIM JIM que, depois de testadas muitas e variadas versões, continua a ser a antena vertical de VHF "de eleição".

Eu não a poderia descrever melhor que Don-N4UJW em Hamuniverse.com: "... A antena Slim Jim ... é uma antena omnidirecional polarizada verticalmente  com "ganho" considerável e está concentrada ... em direção ao horizonte em vez de em direção ao céu, tornando-a mais eficiente do que uma antena do tipo plano de terra em cerca de 50% melhor. Pode ser construída para quase todas as frequências! Devido ao seu design SLIM, há muito pouca carga de vento. É alimentada com cabo coaxial de 50 ohms (direto!)Ela usa um esboço de correspondência do tipo 'J' (J Integrated Matching = JIM), daí o nome SLIM JIM. O crédito pelo design original vai para FC Judd, G2BCX. Uma vez que o ângulo vertical de radiação é tão estreito, cerca de 8 graus em direção ao horizonte, ela geralmente tem desempenho de 5/8 de onda ... construção do tipo plano de terra devido ao seu ângulo de radiação muito maior. Estima-se que a Slim Jim parece ter cerca de 6dB de ganho ... uma antena de 5/8 de onda  devido ao ângulo de radiação extremamente baixo." Há muitos artigos, na Web, sobre a SLIM JIM.

Esta semana (para entender as experiências de um colega...) resolvi construir uma J e uma SLIM JIM, para comparar. 


Depois de vários estudos (medições finais nas fotos, para que não haja dúvidas...), 



optei por "envelopar" a SLIM JIM que, devido ao atraso dos correios, o colega pode vir levantar!

Para quem se quiser entreter a construir uma antena simples, por baixo custo e com performance que não tem comparação no mercado (!) arranje 3m de cobre/aluminio (tubo ou vara), um analisador e paciência q.b. e tem aqui a calculadora do John (e a minha ajuda, se precisar):

https://m0ukd.com/calculators/slim-jim-and-j-pole-calculator/

Divirta-se!



Nova Loop Magnética

Cinco anos depois da construção da antena Loop Magnética para levar para o campo, de uns quantos testes (porque, aqui, experimenta-se, eh eh) e com a chegada do "menino" mais novo (o YAESU FT-818ND) senti necessidade de uma antena para as minhas principais bandas de DX em QRP (80M, 60M, 40M, 20M e 17M).
Como sabem, não uso sintonizadores de antena, trabalho com antenas ressonantes porque, principalmente, quando se trabalha com pequenas potências (QRP) todos os DB's contam e a inserção do sintonizador, ou outros, resulta em perdas na emissão.
Como o meu sistema de tracção já não aguenta certos pisos (só posso andar "por bons caminhos"!) o volume ou o peso não são determinantes, vai na viatura. Importante, sim, é a rapidez a pôr a funcionar à beira de qualquer caminho.

Material
Então, a nova MAGLOOP, consta de:
275cm de cabo coaxial Heliax (aro grande);
56cm do mesmo cabo (aro pequeno);
1 PL de chassis;
15cm de tubo ou cantoneira em plástico;
2 pontas de fio 10cm cada e
1 condensador-variável (CV) de 350uF
e, o mais importante, "vontade" de meter as mãos na massa!

Aviso, desde já, para aqueles que não têm aquela habilidade a que chamam "tempo", que a dita está à venda, p.ex. na Wimo, por 545€+portes. Mas, não é a mesma coisa! Claro que não, esta é FMF (Fake Mas Funciona!) e o custo fica por duas ou três dezenas de Euros ou menos. Espreitem a vossa sucata.

Construção



Em cada um dos lados do cabo de 275cm retire 1cm do plástico exterior. Com o ferro de soldar retire 0,5cm do dielétrico e dobre o condutor exterior até tocar o núcleo e estanhe. Solde as pontas de fio de 10cm.
Faça um aro com os 275cm.

Prenda as pontas com um tubo plástico (eu usei tubo verde de gás) ou cantoneira em plástico ou acrílico onde, préviamente faz dois furos para passar as pontas de fio que hão-de ligar ao condensador-variável.

Melhor que a descrição é a imagem.


Outra opção é cantoneira em plástico ou acrilico... ou outra.





Molde o aro com a peça de 56cm, descarne o cabo e deixe as pontas (vivo e malha) separadas. Faça as ligações (crave ou solde terminais) à ficha, como indicado.



Condensador-variável (CV)
Para conseguir um bom desempenho é determinante o valor do CV. Neste projeto utilizei, propositadamente 350uF para as bandas desejadas (17m aos 80m). Lembre-se de que quantos mais bandas pretender usar maior o compromisso com quebras de eficiência. Há ofertas dos 10 aos 160m... mas eu não quero!
Tente arranjar um desmultiplicador para o condensador. A afinação é muito fina.
A largura de banda utilizável é de cerca de 5khz o que, longe de ser um inconveniente, constitui uma grande vantagem pela rejeição comunicações em frequências adjacentes (fácilmente passa de S9 a S0).


Montagem
Simplesmente numa vara/tubo de 2m/2,5m de altura (tem de chegar ao condensador para ajustar/a não ser que monte um motor de passo para o controlar à distância).
Eu usei 3 lanços mais largos de uma cana de fibra de vidro que me permite encolher para transporte e passar o cabo por dentro.



Resultados do teste:
O ajuste inicial é feito pela distância entre o aro pequeno e o grande.
Fixe os aros com serrilha.
O condensador-variável poderá ser arrumado em caixa de montagem plástico.

Ontem foi dia de testes de receção:


Para quem quiser saber mais, sobre a Loop Magnética há muita literatura na Internet (uns que estudaram e partilham conhecimentos e outros... a mandar bitaites...).

Se quiser saber mais, recomendo este artigo de 113 páginas, sobre o assunto, escrito pelo colega Frank Dorenberg-N4SPP <https://www.nonstopsystems.com/radio/frank_radio_antenna_magloop.htm>

Relembramos que esta antena, em emissão, gera tensões elevadas pelo que não deve ser tocada.

E boas comunicações!

Antena 160m

Após algum tempo de espera, devido às contingências do momento e devido ao meu grau de exigência, porque
resolvi esperar pelo fio da Gallagher, construir e ajustar o transformador de impedância/UnUn de 2.200Ω para 50Ω, instalar, testar e ajustar o fio.
desenho sobre o local de instalação
O resultado está aqui:

Embora otimizada para os 1.845 KHz, a antena funciona sem compromisso nos 80m, 40m, 20m, 15m e 10m. Aqui não se usa sintonizador/antenna tuner... prefiro fios ressonantes!
Em tempo de pandemia
 Stay At Home Award | DX-World
e siga o conselho da SRAL.

UnUn 64:1

Embora, como sabem, eu não morra de amores por fios irradiantes, de comprimento aleatório, alimentados no extremo, vulgarmente designados por antenas EndFed não posso deixar de ajudar os amigos que necessitam de uma antena, fácil de transportar, para o campo.
Como não dá para carregar nem um sintonizador/AT nem um analisador/medidor tivémos de incorporar no UnUn um comutador que permita modificar a relação necessária a permitir uma melhor performance  nas bandas mais baixas e nas mais altas.
Para obviar à falta de "terra" o contrapeso é feito pelo coaxial, cortado e ajustado.

Aqui fica mais um exemplo, ajustado para a melhor relação em várias bandas, considerando a impedância do fio de 3K3Ohm.







Medida direta (aqui não se usam sintonizadores...) e simultânea às 6 bandas!

Haja "paciência"... e bom trabalho!

73 de


ANTENNA END_FED ou ANTENA ALIMENTADA NO EXTREMO


Não sou fã de antenas alimentadas no extremo, sejam elas de comprimento aleatório (End_Fed), de meia-onda (EFHW) ou de fio longo (LongWire com 1  l de comprimento) devido, fundamentalmente às suas caraterísticas (elevada carga no extremo do fio), às condicionantes da instalação (necessidade de terra/de contrapeso, ângulo de instalação e distância em relação à terra, ...) aos cuidados necessários para que a malha do coaxial não irradie, ao seu caráter ruidoso e (muito importante!) à direcionalidade, quase, limitada ao sentido do fio.
Para avaliar tudo isto e mais, são necessários conhecimentos que, na generalidade, os amadores não têm e aparelhos de medida adequados. 
Contudo, hoje, a Internet é um enorme poço de conhecimento e experiências para quem quer saber mais ou, simplesmente, “o porquê das coisas”. Assim o espírito do radioamador os ilumine!

Contudo, alguns fins justificam os meios!
- Descrição simplificada do projeto
Queremos levar para o campo condições de comunicação em 7023-7026khz e estamos limitados no peso a deslocar; não temos, nem tempo, nem condições de instalação e afinação de antenas no local: apenas podemos transportar um emissor QRP de CW, um rolo de fio e pouco mais; como usamos baixa potência (0,8W) não podemos desperdiça-la com sintonizadores, medidores ou fichas e outros adereços... temos de “casar” simplesmente o emissor com a antena e... rápidamente!

 Claro que necessitamos de algum material, como
  • um coaxial para a baixada (da antena ao transcetor) e de
  • um adaptador de impedância de 64:1, já que teremos no fio uma impedância à volta dos 3 mil e tantos Ohm/W e 50W no TRX.

Não temos condições para a ligação à terra, nem do uso de contrapeso (pedaço de fio em oposição à antena/ligado à malha) nem carregar com sintonizadores de antena/antenna tuner (não tenho nem uso/trabalho com antenas ressonantes!).
Precisamos de simplificar e, assim, teremos de levar feito e afinado.
Podemos comprar (bom e caro de fábrica ou montado por “comerciantes de oportunidade” ou... meter as mãos na massa!)
Afinar somos Radioamadores: “...estudo, experimentação...”! Fica bem mais barato e funciona: aprendemos e divertimo-nos a fazer.
Aqui fica a lista do material necessário:
  1.  1 toroide 114-43;
  2.  2m de fio esmaltado 0,5mm
  3.  1 condensador de 120pF 1000V
  4.  1,20m de coaxial 50 W (eu usei RG174)
  5.  1 parafuso com porca de orelhas;
  6.  1 placa de acrílico/plástico e 4 cintas de serrilha;
  7.  1 ficha para ligar ao E/R e
  8.  20,50m de fio (eu usei o que tinha: 0,5mm multifilar).


 Construção do transformador de impedância

1.     Dobre 10cm do fio, sobre o restante e torça até que fiquem bem enrolados;
2.      Dê 2 voltas da parte entrançada no toroide. Deixe as 2 pontas e continue a enrolar, apenas, o fio único até concluir 8 voltas (do fio único);
3.   Encaminhe o fio para o lado oposto do toroide e dê mais 8 voltas ao contrário;
4.      A ponta do fio prenda/ligue ao parafuso.
5.    As pontas que deixou no inicio ligue, a entrançada ao vivo do coaxial e a ponta de fio único à malha.
      Solde (uma ficha é mais "perdas" a somar!)

A “apresentação” é a gosto! (chapa de acrílico/caixa bonitinha/ lata da graxa... tem muitas ideias na Internet)

Vamos afinar...

Pendure o transformador a 2m de altura (para que o cabo desça, na vertical, ao transcetor) afastado de obstáculos (prenda com uma corda para um lado, antena para outro cf. imagem). Prenda a outra extremidade do fio (antena) com uma corda para poder baixar/subir.

Esteja ciente de que a variação, em altura, influi na ROE (proximidade da terra/obstáculos  e no ângulo de fogo/direcionalidade (eu deixei a 5m de altura, em terra=experiência de “outras batalhas”). A afinação é feita no comprimento do fio/antena (encurtando).


O resultado?!?

Note que:

- este resultado corresponde às medidas indicadas. Se optar por outro material (toroide/secção de fio/comprimento ou tipo de coaxial, ...) o resultado será diferente.
-  a mesma antena não funciona exatamente igual em dois lugares diferentes devido às condições de instalação, mas... andará lá próximo!


Assim, é só chegar ao campo, prender as duas pontas e...  emissor no ar!

O custo?!? – Insignificante! O preço de um toroide (3/5€ no eBay) e um retalho de fio da sucata!



Mãos à obra e... divirtam-se!

73 from

 José Machado



Es'hail2: Antena para 2.4GHz

Comentava, há dias, um colega radioamador (militante!) que desde o aparecimento do hail2 o preço das antenas disparou, os stocks na UE esgotaram e os preços ultrapassaram os limites do concebível.
Foi um desafio e proporcionou-me uma tarde "bem passada", com recurso à sucata e onde o gozo da construção/afinação foi (muito!) maior que o custo do material (insignificante...).
Disco: 14cm
Comprimento: 14,37cm
Ganho: 10,27dBi
Calculadora recomendada: http://jcoppens.com/ant/helix/calc.en.php 
Disponham.