.

.

Aquí, se relatan algunos de los experimentos de CT1BAT que lo poco que sabe recibió de otros y cuyo valor radica en la capacidad de mejorarlo y compartirlo. *** Ici, certaines des expériences de CT1BAT sont rapportées que le peu qu'il sait a reçu des autres et dont la valeur réside dans la capacité à l'améliorer et à le partager. *** Here, some of the CT1BAT experiments are reported that the little he knows received from others and whose value lies in the ability to improve and share it.

my QSL card

my QSL card

.


Loop Quad

Loop Quad
a minha nova antena para os 20m e Qrg superiores

Quadra Cúbica 50MHz

Quadra Cúbica 50MHz
(o meu canhãozinho!)

Ver video...

(todas de construção caseira! All homebrew)

Todos os projetos, aqui descritos, foram testados por CT1BAT conforme se mostra.

WSPR – nova ferramenta para avaliar propagação

 O Roland–HB9VQQ acaba de lançar mais uma interessante ferramenta que, baseada no WSPR [uíspar]permite saber, ao minuto para onde está aberta e com que intensidade, a reflexiva a partir da sua posição (ou da baliza mais próxima).

 Na prática:

- procure saber qual a baliza WSPR mais próxima da sua posição (no caso de Coimbra IN50 é a baliza “CT1BAT”**);

- aceda a https://wspr.hb9vqq.ch/ ;

 - preencha o cabeçalho:

 - Modo: Análise

- Agregação: Minutos


 Na barra lateral esquerda:

 Período: 1 hora

 Texas: CT1BAT

 Banda: Todas ou outra

 Confirme com ; P

 Aqui tem o resultado: número de spot's por banda, de 2 em 2 minutos, na última hora:

 Para ver mais tarde, basta atualizar , ao lado de  P 

  Bons DX

73 fr José Machado - CT1BAT

  “**” A baliza WSPR “CT1BAT” está  localizada em IN50SE,  operativa 24H/24H, emite com 0,100 mW (20 dBm)nas bandas de 80+40+20+17+12+10 metros com uma antena filar de ½ onda em 40M+UnUn, relação 44.1, em inclinação descendente a 45º. 

Antena QHA

QHA : antena QUADRIFILAR HELICOIDAL 

O sonho de alguns radioamadores, consiste num pacote completo! uma antena 
- simples de construir, 
- de baixo custo, 
- fácil de ajustar, 
- banda larga, 
- carregar bem, 
- baixa ROE, 
- mudar de banda sem configurações, 
- não necessitar de sintonizador e 
- fazer "as bandas todas"! 

Não existe, dirão alguns, outros como eu dirão teoricamente/tecnicamente impossível!

Talvez... mas nada é impossível (com compromisso!)

Esta antena tem 70cm de altura, mais a margem de suporte.
Consiste em 4 tubos montados de forma helicoidal num tubo de PVC e tem este comportamento (gravado em contínuo "sem truques"!).


Esta  antena, conforme demonstrado "sem filtros", tem valores de forma perfeitamente enquadrados nas bandas de HF e VHF.
Claro que, na prática, tem compromissos em emissão nas bandas mais baixas devido ao seu pequeno tamanho, mas já vi "lenguaires" piores!

Afinal o que é uma antena QHA?

Trata-se de uma antena de base quadrifilar e de montagem helicoidal, desenvolvida pelo Dr. CC Kilgus do Laboratório de Fisica da Universidade de John-Hopkins em Silver Spriong nos EUA, por volta dos anos 70.
Uma das caraterísticas que mais suscitou o estudo, destacada pelo seu autor, foi o seu padrão de radiação cardioide, alto e estreito, com altos ganhos para o horizonte.
Vários outros investigadores abordaram, mas a principal descoberta foi feita.
Hoje, suas características combinadas são usadas principalmente para satélites.

Não é pretensão apreciar os aspectos técnicos desta antena mas, apenas, a curiosidade de verificar o seu comportamento na prática!

Dos 1,8 aos 222MHz, com valores de ROE abaixo de 1.3.0 sem sintonizar?!?



Divirta-se! (e se tiver dúvidas ct1bat@gmail.com ao dispor, como sempre)


Afinem as antenas!

 A baliza WSPR CT1BAT surgiu, nas últimas 20m de fio e um 8º lugar do ranking mundial e em 3º lugar com 0,100W (100 miliwatts) por mérito exclusivo da ANTENA (pouco mais de 20m de fio e um UnUn 49:1) e da máquina fabricada pelo Harry Zachrisson!.





(Esclareço que o operador da estação, com o mesmo nome, não teve qq intervenção / dormiu a maior parte do tempo, a noite e sesta!!!)

Esqueçam as grandes máquinas (que ficam bem nas fotografias!), os amplificadores e os AT's (para fazerem otrabalho do operador) e AFINEM AS ANTENAS que vale a pena!

CONVERSANDO sobre UNUNs e BALUNs

                               

Há muita linha escrita sobre transformadores de impedância, geralmente conhecidos como BALUNs que, conforme como antenas, são chamadas de BALUN: BAL (antena balanceada ex. Loop) > UN (desbalanceado, do RTX) ou UNUN: UN ( no caso de antena desbalanceada, ex. EndFed)>UN.

É esta a diferença... para amador entender!

Depois há escritos para todos os gostos...

Os que sabem muito disto (os PRO) e que escrevem páginas de fórmulas que levam os “amadores” a desistirem antes do fim da primeira (mas, fica a ideia de que o OM sabe muito disto!).

Os que têm jeito para fazer “coisas bonitas”, que publicam e a gente gosta muito... só que, ainda, não tiveram tempo de experimentar...

E os que tornam isto simples, para "amadores”. Abençoados!

 Vem isto a propósito de uma publicação, num site de Antenas, de uma peça (bonita) construída por um colega italiano que mereceu vários comentários, dos mais singelos aos mais  elaborados . Uns aplaudiram, outros acharam bem e outros, ainda, contaram voltas a menos e torcidas a mais!

Só que o colega não disse qual era a antena, o uso pretendido ou qual a impedância a transformar. Nem disse se serviam 40, 50, 60 ou 70 Ohms! Nem com que bandas queria trabalhar.

Se pretender apenas 1 banda não precisa otimizar e tem melhores resultados. Se, por exemplo, quer usar uma antena dos 6M aos 80M vai ter que aceitar o “compromisso”, de algumas bandas para obter resultados aceitáveis ​​nas restantes.

De acordo com a teoria, há um número exato de voltas para uma dada impedância e frequência. Como é óbvio, variando a frequência/banda, o valor altera.

 Há um excelente artigo, do nosso colega Basu - VU2NSB sobre o ajuste das antenas EFHW que bem explica https://vu2nsb.com/antenna/wire-antennas/multiband-efhw-antenna/ o que acabo de afirmar.

 Experimentando:

Fomos à bancada fazer o teste!

Primeiro construi o transformador com as voltas “certas”  como é, normalmente, apresentado o UnUn de 49:1: 2 voltas torcidas no primário e 7+7 voltas no secundário, Usei uma carga de 3K3 Ohm a simular uma antena EFHW e medi:

(clique para ampliar)

Resultado: ROE/SWR entre 1.1.1 e 1.1.6 dos 80M aos 6M!

Claro que há outros parâmetros a ter em conta mas, por simplicidade, cingimo-nos ao ROE. 

2º ensaio: voltei ao UnUn e, mantendo a carga de 3.300 Ohms,  retirei 2 voltas ao secundário (caso do UnUn do colega italiano):

(clique para ampliar)


Resultado: o ROE “detiorou-se”, progressivamente, para cima e para baixo da frequência central.

Conclusão: provavelmente, o UnUn do colega estava de acordo com o seu objetivo que seria trabalhar os 20M nas melhores possíveis.

Não querendo usar uma antena nas outras bandas terá, sempre, de intercalar um transformador de impedância para transformar os 3.300 Ohm para o seu sistema de 50 Ohm.

 Quero, com isto, dizer que um UnUn ou BalUn “bem feito” não é uma obra com "x" voltas exatas, numa caixa impressa bonita e com um rótulo: é uma necessidade de cada caso. Funcionando   fazendo, medindo e desfazendo para voltar a fazer... experimentando é, afinal, o prazer de um radioamador!

E devo acrescentar: desde que devem estudar, construir e testar os meus transformadores (BalUn / UnUn) bem embalados! Por isso, deixo um conselho: se não se sentir à vontade para colocar as mãos na massa e decidir comprar, que seja de fábrica e, no mínimo, testem-no.

 73 e divirtam-se (a construir os seus próprios transformadores/se precisarem peçam ajuda).

WSPR



 O WSPR (Lê-se [uíspar] “sussurro” em português) sigla de “Weak Signal Propagation Reporter” é um protocolo, para computador, usado para comunicação de rádio de sinal fraco entre radioamadores, desenhado por Joe Taylor-K1JT há poucos anos .

Como o próprio nome indica é uma transmissão de sinal fraco, em regra 200mW(ajustável) e permite descodificar sinais de -23dB numa banda com uma largura de 2500 Hz.

Destina-se, fundamentalmente, a determinar a controlado por local e por banda. É o verdadeiro "propagaciómetro" de que falou o Filipino (RIP).

Acoplado a um sistema de antenas permite determinar, em breves minutos,   qual a que se encontra em melhores condições (Sim/Não) para aquele local.

Os sinais recebidos são carregados, automaticamente e no momento, numa base de dados mundial com o nome de WSPRnet  https://wsprnet.org

O programa, em código aberto, tem vindo a ser desenvolvido por vários OM e conta, atualmente, com cerca de 56.000 usuários em todo o mundo em TX e RX.

Os equipamentos utilizados são desde a construção caseira ou fabricados por QRP Labs, Sotabeams ou Zachtek, com as suas diferenças e para várias bolsas.

Para quem quer documentar sobre o assunto encontra na Web muita informação digitando WSPR.


 A baliza que está ilustrada é a versão TX Desktop 80to10 da Zachtek (Suécia) de 200mW, equipada com GPS, que não necessita de PC podendo funcionar de qualquer lugar com uma fonte de 5V 1A .

Baliza autorizada pela ANACOM.

Sinta-se à vontade para usar, (basta selecionar o indicativo da baliza “CT1BAT” que está a funcionar,  24x7x365, desde Coimbra (IN50),  ligado a uma EFHW-1/2 onda 40M em sloper a 45º, descendente, omnidirec. vertical nas bandas de 80+40+20+17+12+10M.



PERDAS DE RETORNO

 Ás vezes esquecemo-nos de nós próprios!

Lembra-me, hoje, o Facebook* que, há 2 anos publiquei uma experiência vivida (e aprendida!) na construção de uma antena para um colega e amigo e, pasmem, esqueci de a partilhar, no meu blogue, com os colegas que não usam aquela rede.

Sendo o tema, a observação das "Perdas de Retorno" etapa essencial na construção/instalação /acoplamento de uma antena, aqui o replico na esperança de que seja útil a alguém.

https://drive.google.com/file/d/1OfvOEEQnPLEB_GBlodZKPkkl4mCIWL1Y/view?usp=sharing 




*Digam lá que o FB não tem "coisas boas"... às vezes até nos ajuda a conhecer melhor algumas pessoas!

Antena para UHF (h=52cm) com 6 DBi de ganho!

 Construir uma antena para UHF (432MHz / 70cm) com 6DBi de ganho? Com uma largura de cerca de 7MHz e um ângulo de fogo inferior a 10º?

Muito fácil, mais barato e mais rápido que ir à loja e por um custo insignificante (uma PL)...

Material:

- 108cm de fio grosso ou tubo de cobre ou aluminio (recomendado 6mm);
- 1 PL de chassis (SO239).


Marque as distâncias no fio/tubo de acordo com as medidas acima: D|C|B|C|F.
Faça as dobras C.
Una as pontas com um pedaço de tubo plástico e coloque manga retrátil ou cola.
Afinação:
parta do ponto A (36mm) e, lentamente para cada uma das pontas (malha para a extremidade), procure o ponto dos 50 Ohm e menor ROE.

O resultado? Pode ver nas imagens abaixo!




(Não se preocupe demasiado com os valores apresentados em S11... são muitos anos a fazer e testar antenas (!) e raramente encontra estes valores de fábrica!)

(antenas afinadas em 450MHz para um amigo)

Mãos à obra e... divirta-se!

NOTA: Não fabrico para venda. Se tiver dúvidas, contate-me que eu ajudo-o.


QHF antena LHCP para satélite NOOA (137,5MHz)


 Há quem diga que recebe satélites até com chicote de borracha! 
É possível, dependendo do satélite e (muito!) do acaso/coincidência da passagem e da direção.
Mas, para se escutar com eficácia e fazer emissão, naqueles em que é possível, é preciso escolher o momento da passagem, mais próxima da sua localização, o azimute e ter uma antena com direcionalidade bastante para apontar o satélite. 
Isto para amadores! 
Claro que, para os "profissionais" há equipamento adequado desde software, para indicar passagens e variações de frequência conforme a aproximação ou afastamento, antenas e rotores azimutais.
Para quem faz isto de vez em quando (e não pensa na profissionalização 😃) há modos mais simples e baratos.
Hoje deixo-lhes uma forma barata (!) de construir uma antena devidamente testada (aqui só se publicam projetos testados pelo autor!) para receber os satélites NOOA (meteorológicos) ajustada para os 137,5MHz, com a vantagem de ter receção omnidirecional.





QHF Antena quadrifilar LHCP (circular esquerda)
Material utilizado:
- 70cm de tubo PVC 50mm;
- 1 tampa;
- 1,5m de coaxial;
- 1 PL de chassis;
- 2x118,1m de tubo de cobre 6mm;
- 2x111,4m de tubo de cobre 6mm;
- 1 dose de gosto + 1 de habilidade (!!!)





Os ângulos do tubo sem vincar fazem-se, facilmente, com um alicate de dobragem (ou outra).





Abaixo da fixação superior (+- 5cm) faz-se um furo, para o cabo sair, dar 4 voltas completas (choque de RF*) e volta a entrar dentro do tubo até próximo da base, onde liga a uma PL de chassis, ali fixada.
Sugestões de montagem: rosca interior no tubo, parafuso com anilha



O custo estimado é de menos de €20  (na CE encontrei esta antena à venda entre €200 e €250+portes).

O resultado final é o que consta da foto.

Se quiser ler mais sobre os satélites meteorológicos ou de amador, clique aqui.

Mãos à obra e bom trabalho!


*A sua função é a de ajudar a eliminar correntes de RF de fluir do lado externo do cabo coaxial.